Novidades

51% dos brasileiros não sabem ao certo quanto gastam com tarifas bancárias

Estudo do Ibope mostra que a maior parte das pessoas das classes ABC com acesso à internet recebe informações insuficientes dos bancos


Foto de uma mesa de madeira com vários cubinhos de madeira espalhados em cima onde se pode ver desenhado um ponto de interrogação em cada um deles.

Mais da metade dos brasileiros com acesso à internet não sabe ao certo quanto gasta com tarifas e taxas bancárias. Segundo estudo do Ibope Inteligência encomendado pelo C6 Bank, 51% dos entrevistados desconhecem o valor exato que pagam aos bancos ou apenas têm ideia de quanto despendem com esses serviços. O instituto de pesquisa ouviu 1.613 brasileiros das classes ABC conectados à internet, com 16 anos ou mais e que possuem conta corrente, conta pagamento ou conta de investimento.

Encomendamos essa pesquisa porque transparência é um dos nossos principais valores — e, aqui, queremos que você sempre saiba quanto paga por cada coisa.

O estudo do Ibope tem outras conclusões interessantes. A pesquisa também mostra que faltam informações claras aos clientes de bancos. De acordo com o levantamento, 37% dos entrevistados afirmam receber dos bancos todas as informações necessárias, de forma clara. Por outro lado, 40% das pessoas ouvidas pelo Ibope Inteligência dizem que recebem todas as informações necessárias, mas nem sempre de forma clara, 13% acham que recebem informações incompletas e 10% relatam que não recebem as informações necessárias das instituições em que têm conta.

Um correntista, vários bancos

Outra conclusão da pesquisa é que os brasileiros com acesso à internet das classes ABC que possuem algum tipo de conta (investimento, salário ou pagamento) têm, em média, 3,7 contas em banco. Os entrevistados da classe A chegam a ter, em média, 5,6 contas em instituições financeiras. Na classe C, a média é 3,4. Conta corrente e poupança são as modalidades de conta mais comuns entre os entrevistados.

A pesquisa foi realizada entre os dias 14 e 17 de maio. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.