Novidades

C6 Bank agora permite compra e venda de ações dentro do app

Plataforma do C6, que já oferecia CDBs e fundos, lança categoria de renda variável, com oferta de ações e outros produtos a corretagem zero


Homem subindo uma escada rolante com um celular na mão e olhando para cima
Com a oferta de renda variável para pessoa física, o banco passa a atender também ao crescente interesse do brasileiro pela bolsa de valores

Lançamos a categoria de renda variável na nossa plataforma de investimentos. Agora, o cliente do banco pode, dentro do aplicativo da instituição, comprar e vender ações, ETFs (Exchange Traded Funds) e BDRs (Brazilian Depositary Receipts) negociados na B3, bolsa de valores de São Paulo. O custo da corretagem nas operações é zero.

O lançamento amplia ainda mais o catálogo de produtos de investimento do banco, que já contém CDBs (Certificados de Depósito Bancário) pré e pós-fixados e 158 opções de fundos de investimentos.

“Com a inclusão da renda variável, facilitamos a vida do investidor, que agora tem a possibilidade de comprar e vender ações no mesmo ambiente onde ele já tem a sua conta corrente”, diz Romildo Valente, responsável pela área de investimentos do C6 Bank. “Ou seja, você paga conta de luz, faz TEDs, transforma pontos em passagens aéreas e agora compra ações no mesmo app. Não é à toa que nossa proposta é ser um banco completo.”

Para investir em ações, BDRs ou ETFs, basta ir até a seção Investimentos do app e lá selecionar Catálogo de Produtos e, depois, Renda Variável. Antes da primeira operação, o app guiará o usuário por um breve cadastro de informações pessoais, exigidas legalmente. A negociação dos papéis fica, a partir daí, liberada para o cliente no app.

As operações de renda variável do C6 Bank são intermediadas pela C6 Corretora de Títulos e Valores Mobiliários, pertencente ao banco. A corretora iniciou suas operações no ano passado com o foco inicial em investidores institucionais, como grandes gestoras de recursos e fundos de pensão. Com a oferta de renda variável para pessoa física, o banco agora passa a atender também ao crescente interesse do brasileiro pela bolsa de valores. O número de CPFs cadastrados na B3 já ultrapassa os 3 milhões.