Novidades

Conheça o Open Banking, a inovação que dará mais autonomia ao consumidor na gestão de suas finanças

Sistema que tem por objetivo melhorar a oferta de produtos e serviços financeiros para o consumidor está em fase de implementação no Brasil


Open Banking dará mais autonomia ao consumidor nas suas finanças

O Banco Central do Brasil anunciou que a segunda fase do Open Banking entrará em vigor em 13 de agosto. Chamado em português de sistema financeiro aberto, ele está em processo de implementação pelo BC com previsão de operar plenamente em 2022.

Com o Open Banking, o consumidor pode escolher compartilhar seus dados bancários com as instituições financeiras participantes e tem a possibilidade de escolher serviços financeiros mais compatíveis com o seu perfil e condições comerciais mais competitivas.

Conheça mais sobre o sistema cujo objetivo é melhorar a oferta de serviços financeiros e dar mais autonomia para o consumidor na gestão de suas finanças.

O que é Open Banking?

Open Banking é um sistema gratuito de compartilhamento de dados, produtos e serviços que tem por objetivo simplificar os processos do mercado financeiro, promover a concorrência e melhorar a oferta de produtos e serviços financeiros para o consumidor.

O ponto central do Open Banking é o compartilhamento de informações.

Assim como é possível comparar produtos na internet por meio de informações divulgadas por vendedores, no Open Banking será possível navegar por produtos e serviços bancários graças às informações compartilhadas entre diferentes instituições autorizadas pelo Banco Central de forma segura, ágil e conveniente.

Com o Open Banking, os dados e serviços são compartilhados de forma padronizada e é o cliente que decide quando, com quem e quais dados deseja compartilhar. Outra novidade do sistema é permitir a movimentação de contas bancárias a partir de diferentes plataformas, autorizadas pelo Banco Central, e não somente pelo aplicativo ou site do banco.

Inovação presente em países como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Japão, o Open Banking está em fase de implementação no Brasil. Segundo cronograma divulgado pelo Banco Central, o sistema deve estar funcionando plenamente em setembro de 2022.

Como funciona o sistema financeiro hoje?

Atualmente, uma instituição financeira não sabe sobre o relacionamento que um cliente mantém com outra instituição — quais produtos e quais serviços utiliza, as taxas oferecidas etc. Por isso, a concorrência tem dificuldade de competir e oferecer as melhores taxas e serviços para os clientes.

Sem saber do histórico do cliente em outras instituições, os bancos muitas vezes perdem a oportunidade de oferecer condições mais atraentes e compatíveis com as necessidades do cliente. Assim, as duas pontas ficam em desvantagem: enquanto o consumidor fica sem saber o que mais e quais vantagens o mercado tem a oferecer a ele, a instituição financeira perde um cliente em potencial.

O que muda com o Open Banking?

Com a autorização de cada cliente, as instituições vão se conectar diretamente às plataformas de outras instituições participantes e irão acessar exatamente os dados autorizados pelos clientes. O processo é feito em um ambiente seguro e todo o processo é supervisionado pelo Banco Central, seguindo a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Com o Open Banking, o usuário pode ter acesso a produtos de diferentes empresas. Sendo assim, uma pessoa pode pedir empréstimos em um banco, organizar os investimentos em outro e utilizar o cartão de crédito de um terceiro, da forma que avaliar mais conveniente, em um processo de conquista de autonomia, controle e liberdade sobre a gestão de suas finanças.

Quais são as vantagens do Open Banking?

Entre os ganhos que o Open Banking espera trazer para o sistema financeiro estão a promoção da inovação, o fomento de uma competição saudável entre as instituições e a melhora de experiência do consumidor no uso de produtos e serviços financeiros.

  • Inovação: o Open Banking surge como um modelo de compartilhamento de dados em nuvem, permitindo que as informações sejam usadas para a estimular o desenvolvimento de soluções por instituições financeiras. Além, também, do surgimento de novos modelos de negócio que podem favorecer a inclusão e educação financeiras da população com o desenvolvimento de serviços melhores e mais baratos.
  • Competição saudável: no modelo atual, existe uma assimetria de informações entre diferentes instituições financeiras, uma vez que aquelas já consolidadas têm uma base maior de dados e guardam o histórico de seus clientes para si. Com o Open Banking, o cliente pode escolher compartilhar seus dados com outras instituições financeiras para que, assim, possam oferecer serviços para ele, em um modelo que estimula a melhoria constante de produtos, serviços e condições comerciais. Com um fluxo mais transparente de informação, o cliente é beneficiado.
  • Experiência do consumidor: o cliente é o foco do Open Banking, pois é ele quem controla o compartilhamento de seus dados. Essa autonomia faz com que ele possa ter uma experiência bancária mais customizada, escolhendo produtos financeiros em instituições que melhor atendem às suas necessidades. Além disso, quem contratar serviços em diferentes instituições poderá consultar todas as suas informações em um único local.

Como usar o Open Banking?

O Open Banking está previsto para começar a operar plenamente no Brasil em setembro de 2022. Mas já é possível participar desse processo.

A partir de agosto, consumidores interessados em usar o Open Banking podem solicitar que as instituições financeiras com as quais possuem vínculo compartilhem seus dados cadastrais, informações sobre transações em suas contas, cartão de crédito e produtos de crédito contratados.

Assim que o consumidor concede a autorização para o compartilhamento de dados — que pode ser revogada a qualquer momento — , as instituições financeiras já podem começar a trabalhar no desenvolvimento de soluções bancárias que serão oferecidas posteriormente.

Saiba mais sobre como funciona o compartilhamento de dados no texto educativo publicado pelo C6 Bank e prepare-se para a chegada do Open Banking.