Seu Bolso

FIIs x Imóveis: 5 vantagens de investir em um fundo imobiliário

Professor Liao, nosso head de educação financeira, compara as duas formas de investimentos


CDB IPCA é um investimento seguro que garante rendimentos acima da inflação

Nos últimos anos, o número de Fundos Imobiliários negociados na bolsa cresceu. Esse produto tem atraído investidores que desejam comprar cotas com objetivo de receber o valor do aluguel em dividendos.

Mas qual a melhor opção: investir em fundo imobiliário ou comprar um imóvel e cobrar aluguel?

O professor Liao Yu Chieh, head de educação financeira do C6 Bank, aponta cinco principais vantagens de ser cotista de um fundo imobiliário em vez de ser proprietário de um imóvel.

“Os objetivos de investir em um imóvel como proprietário ou por meio de um fundo são muito parecidos. OS FIIs compram imóveis com objetivo de receber aluguéis e ter lucro com a valorização do imóvel, exatamente como o investidor que compra o imóvel para alugar. Mas a forma com esse investimento é feito e a atuação do investidor são bens diferentes entre as duas opções”, afirma Liao.

1 – Quantidade de capital mínimo que precisa ser investido

O valor mínimo para investir em um fundo equivale a uma cota. “Com R$ 100, por exemplo, você pode se tornar cotista de um dos fundos disponíveis no mercado. Essa quantia é bem menor que o necessário para comprar qualquer imóvel”, explica Liao.

2 – Diversificação

Ao investir em um fundo imobiliário, você pode ter acesso aos mais variados tipos de ativos, como lajes corporativas, shopping centers ou um conjunto de galpões logísticos, entre outros.

“Dá para você distribuir o seu dinheiro entre vários deles. Comprando um imóvel único para locação, você concentra o risco. Com sorte, o imóvel estará sempre alugado por um inquilino que é gente boa e pontual no pagamento. Se der azar, pode ter muita dor de cabeça”, diz Liao.

3 – Tributação

O valor do aluguel de um imóvel precisa ser somado a sua renda e vai sofrer incidência do Imposto de Renda Pessoa Física. Já os FIIs distribuem mensalmente, no mínimo, 95% dos seus rendimentos em dividendos. Esses dividendos são isentos do Imposto de Renda.
Mas para ser isento, os fundos precisam:

  • ter cotas negociadas na bola
  • ter 50 cotistas, no mínimo
  • o cotista beneficiado não pode ter mais do que 10% das cotas emitidas pelo fundo

“Outro ponto importante. Quando falarmos em ganho de capital, ou seja, vender cota do fundo por um valor maior do que pagou, existe a tributação de 20% sobre o ganho. Quando vende um imóvel próprio, a alíquota do IR sobre ganho de capital é de 15%”, explica Liao.

Relacionadas:

4 – Liquidez

Por serem negociadas em bolsas, as vendas de cotas são bem rápidas. Os recursos estão disponíveis em dois dias úteis após as vendas. “E você só precisa se desfazer da quantidade de cotas que atenda a sua necessidade de caixa”, disse Liao.

5 – Gestão do investimento

Após comprar o imóvel, resolver a burocracia no cartório, o proprietário precisa encontrar um inquilino, definir valor e contrato de aluguel. Se apostar em um FII, o investidor está profissionalizando a gestão do investimento.

“Outra vantagem: alguns fundos têm gestão ativa, ou seja, buscam as melhores oportunidade e movimentam seu portifólio, fazendo a venda de imóveis com menor potencial de apreciação para investir em imóveis com maior potencial de valorização. Além de taxa de gestão, o investidor tem que saber que também pode pagar taxa de corretagem sobre a negociação de cotas na bolsa”, conclui Liao.

Assista ao vídeo completo no canal do C6 no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=ETIdizJereg

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Leia também: Aprenda a reavaliar seus investimentos