Guia do Investidor

O que é FGC e como ele protege seus investimentos?

O Fundo Garantidor de Crédito garante até R$ 250 mil por CPF por instituição financeira


Você já deve ter ouvido falar que um determinado investimento tem a proteção do FGC. Mas, afinal, o que é o Fundo Garantidor de Crédito e como ele funciona?

Foto de uma mulher loira com uma casaco verde militar e óculos grandes lilás mexendo em um smartphone com capinha rosa e sorrindo. No fundo é possível ver o por do sol e o céu e tons de lilás
O que é FGC e como ele protege seus investimentos?

O que é o FGC?

O FGC é uma entidade privada e sem fins lucrativos criada para proteger investidores e pessoas com depósitos no Sistema Financeiro Nacional.

Como funciona o FGC?

O FGC funciona como uma rede de segurança para o investidor.

Caso a instituição em que você investe ou mantém depósitos vá à falência, seja liquidada ou não consiga honrar os seus compromissos, o FGC garante que você recupere tudo que tiver investido até o limite de R$ 250 mil, inclusive os rendimentos.

E atenção: essa quantia vale por CPF, por conglomerado financeiro.

Relacionadas:

Quais produtos são protegidos pelo FGC?

Nem todos os investimentos estão protegidos pelo FGC. Veja os principais produtos garantidos pelo fundo:

  • Conta corrente
  • Conta salário
  • Caderneta de poupança
  • CDB
  • RDB
  • LC
  • LCA
  • LCI

Já debêntures, previdência privada, ações ou fundos de investimento não são cobertos.

Passo a passo do FGC

Quando uma instituição quebra, o Banco Central nomeia um liquidante. Essa pessoa é responsável por fazer uma lista com todos os investidores e todos os valores devidos. Uma vez consolidadas, essas informações são enviadas para o FGC. Não há um prazo para isso acontecer: pode levar poucos dias ou alguns meses.

Vencida a primeira etapa, o FGC escolhe um banco que fará o pagamento para os clientes prejudicados — em geral, uma instituição de grande porte. Em seguida é feito um aviso no FGC e no banco liquidado, e os clientes interessados podem ir até uma agência do banco pagador para sacar o dinheiro ou fazer uma transferência dos recursos para outra conta. O valor é líquido e já vem descontado do Imposto de Renda.

O processo é simples e não requer que o cliente acione a Justiça.

Apesar de o FGC garantir o valor depositado e os juros, o dinheiro não sofre qualquer correção a partir da liquidação da instituição financeira.

E um alerta: o patrimônio do FGC não é ilimitado. Apesar de ter recursos para atender com certa folga a quebra de um ou mais bancos, pode haver falta de dinheiro em caso de uma crise sistêmica em que várias instituições quebrem ao mesmo tempo.

Leia também: Precisa aumentar o limite do seu cartão de crédito? Veja dicas do que fazer