Seu Bolso

Gestão de cobrança: o que é?

Está inadimplente? Saiba como a gestão de cobrança pode te ajudar


Mulher sentada fazendo contas segurando papel e caneta ao lado de uma calculadora, pensando na gestão de cobrança

Segundo levantamento recente do Serasa, o número de inadimplentes no Brasil cresceu 0,81%, quando comparado com fevereiro. Dessa forma, são mais de 65,69 mil inadimplentes no país. Você sabe o que a gestão de cobrança tem a ver com isso?

Nessa matéria, você vai descobrir o que é e qual a relação dessa gestão com todos os perfis de inadimplentes, principalmente os da faixa etária de 26 a 40 anos, que são 35,2% da quantidade total.

Relacionadas:

O que é gestão de cobrança?

De forma resumida, a gestão de cobrança não passa de um compilado de práticas pensadas para facilitar e garantir eficácia na administração de pagamentos a receber.

Ou seja, o principal objetivo desse tipo de gestão é reduzir a taxa de inadimplência de uma empresa, garantindo que os clientes realizem os pagamentos nos prazos combinados.

Como ocorre na prática?

Existem algumas técnicas que podem facilitar na abordagem. São elas:

  • Sempre notificar, de forma sutil, ao cliente a data de vencimento de uma dívida;
  • Analisar o tempo da dívida e entrar em contato assim que o cliente não realizar o pagamento para facilitar a renegociação;
  • Ter uma postura assertiva, buscando solucionar os problemas do cliente;
  • Pensar em alternativas para o pagamento da dívida.

Gestão de cobrança e a tecnologia

Graças à tecnologia, o processo de gestão de cobrança se tornou muito mais rápido e tranquilo. Já é possível encontrar diversas opções de sistemas automatizados para a recuperação de crédito.

Na grande maioria dos softwares, o processo é automatizado, desde o contato com o cliente, cálculo do valor e renegociação.

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Leia também: Educação financeira infantil: quando e como conversar com as crianças?