Seu Bolso

Quer investir em criptoativos? Fundos deixam isso mais fácil

No C6 Bank, é possível investir em fundos de criptomoedas


moeda de bitcoin

Cripto é pop? Talvez ainda não. Mas é fato que o investimento em criptoativos tem atraído a curiosidade e o interesse de um número cada vez maior de pessoas.

Para quem quiser ter exposição a criptomoedas de forma mais segura, uma solução é recorrer a fundos de investimento que têm esses ativos na carteira.

As vantagens vão desde a conveniência de poder contar com uma equipe de gestão para fazer a curadoria dos ativos, até questões de segurança que são específicas deste universo.

Relacionadas:

Há ainda uma questão sucessória relevante. Se o investidor falecer sem ter dividido sua chave de acesso com outras pessoas, esses ativos ficarão inacessíveis para sempre. Já os fundos são transmitidos aos herdeiros.

Tecnicamente, os fundos que investem em criptomoedas pertencem à categoria dos fundos multimercado. Alguns investem em um único tipo de ativo (apenas bitcoin, por exemplo), outros seguem temas específicos (smart contracts, finanças descentralizadas, game coins) e há os que alocam parte da carteira em ouro ou outros metais, para reduzir a volatilidade.

Por uma norma da CVM, os fundos liberados para o público comum só podem ter até 20% da carteira em ativos no exterior. Os 80% restantes são investidos em renda fixa local – geralmente, títulos públicos.

Fundos têm cobrança de Imposto de Renda?

Os fundos de criptoativos têm alíquota decrescente de Imposto de Renda e incidência de come-cotas.

Para atenuar a volatilidade do investimento, uma solução é optar por fundos que também incluam ouro na carteira. Diluir o peso dos criptoativos na carteira ajuda a reduzir o risco do fundo.

Aliás, justamente em função do risco envolvido, o investimento em criptoativos deve ocupar uma fatia pequena do portfólio do investidor, algo entre 1% e 2%.

No C6 Bank, você consegue investir em fundos de criptomoedas. Acesse o app do banco, clique em “C6 Invest” e em “fundos”.

Leia também: O que são créditos de carbono e como comprar pelo C6 Bank