Economia

Resumo semanal: Juros em alta

Confira as principais notícias da semana, segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank


Confira as principais notícias da semana (2/5-6/5), segundo a avaliação da equipe econômica do C6 Bank. Leia a íntegra do relatório.

Internacional

Estados Unidos: Fed acelera alta de juros em meio a mercado de trabalho aquecido

O banco central americano (Federal Reserve – Fed) subiu a taxa de juros em 50 pontos-base, conforme esperado, definindo um novo intervalo de juros entre 0,75% e 1% ao ano. Este foi o segundo aumento consecutivo da taxa e o primeiro de 50 pontos-base desde 2000. No comunicado, o Comitê justificou a ação em razão de um mercado de trabalho forte e inflação elevada, e indicou que mais aumentos serão apropriados nas próximas reuniões. O presidente do Fed, Jerome Powell, durante a coletiva de imprensa descartou aumentos maiores, como de 75 pontos-base, por enquanto. Adicionalmente, o comunicado citou que uma redução do balanço patrimonial começará no início de junho e será conforme planejado na reunião de março, com o máximo de US$ 95 bilhões por mês alcançado depois de 3 meses.

O mercado de trabalho segue bastante aquecido. O número de vagas de emprego em aberto alcançou novo recorde de 11,5 milhões em março, de acordo com dados do relatório Jolts do Departamento de Trabalho. O número de pedidos de demissão também está no máximo da série, sinalizando uma facilidade de se conseguir emprego. Ambos os indicadores sugerem uma crescente dificuldade das empresas em contratar e reter funcionários. Os pedidos iniciais de seguro-desemprego, também divulgados pelo Departamento do Trabalho, seguem em níveis muito baixos, em 200 mil na semana encerrada em 30 de abril, 19 mil acima da semana anterior. O Departamento de Trabalho publicou dados referentes ao mês de abril. De acordo com o Establishment Survey, houve criação de 428 mil empregos no período, perto das expectativas. Segundo o Household Survey, a taxa de desemprego permaneceu em 3,6%, e houve leve redução na taxa de participação, de 62,4% para 62,2%. O ganho médio por hora trabalhada aumentou em 0,3%, desacelerando em relação ao mês anterior. Nos últimos doze meses, o índice acumula alta de 5,5%, sugerindo pressão de salários e dificuldade das empresas em contratar.

A atividade continuou em expansão em abril, porém em ritmo mais moderado, segundo índices de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do Instituto ISM. O PMI-ISM de manufaturas diminuiu 1,7 ponto para 55,4. Houve menor crescimento da produção, demanda e emprego. Os preços pagos continuaram elevados e o tempo de entrega de mercadorias aumentou, sugerindo persistência de gargalos na cadeia produtiva. O índice de serviços diminuiu 1,2 ponto para 57,1. Houve redução nos índices de novos pedidos e emprego, mas aumento nos preços.

Europa: Ucrânia resiste enquanto União Europeia discute mais sanções à Rússia

O conflito entre Rússia e Ucrânia segue pelo terceiro mês. A Rússia continua tendo dificuldades de alcançar seus objetivos de tomar o controle e formar um corredor até a Crimeia, os ataques continuam. A Ucrânia mostra resistência e segue recebendo ajuda militar, financeira e humanitária do ocidente. Negociações diretas entre Rússia e Ucrânia estão praticamente paradas. O conflito deve se estender por mais tempo do que era previsto. A União Europeia está discutindo uma sexta rodada de sanções que prevê fim de importações de petróleo e produtos refinados de petróleo este ano para a maioria dos países membros.

Os preços das commodities seguem com alta volatilidade. Entre os dias 29 de abril e 5 de maio, o petróleo subiu 1,4%, em meio a discussões sobre embargo ao petróleo russo. O gás natural aumentou 7,1% no mesmo período, em razão de preocupações quanto ao fornecimento de gás russo, depois que o país modificou exigências sobre a forma de pagamento.

O Banco Central da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) elevou a taxa de juros em 25 pontos-base, para 1%, conforme esperado. O aumento foi o quarto consecutivo. A expectativa do banco é de inflação mais elevada este ano, podendo ultrapassar 10% em razão de um aumento maior no preço de energia e uma interrupção mais prolongada na cadeia de produção, causada pela invasão da Ucrânia pela Rússia e medidas restritivas na China em razão do surto de Covid-19. No comunicado, o Banco afirma que mais aumentos podem ser apropriados nos próximos meses.

A confiança na economia (índice de sentimento econômico, calculado pela Comissão Europeia) diminuiu 1,7 ponto em abril, para 105. Houve uma piora na confiança da indústria em 1,1 ponto para 7,9, enquanto a confiança no setor de serviços permaneceu praticamente estável em 13,5. Todos esses índices continuam acima da média de 2019.

As vendas no varejo encolheram 0,4% em março frente ao mês anterior. O índice veio abaixo do esperado: as menores restrições relacionadas ao vírus ajudaram o setor, mas a alta da inflação, principalmente do preço de energia, diminui o poder de compra dos consumidores e pesaram negativamente sobre as vendas.

O mercado de trabalho está mais aquecido. A taxa de desemprego diminuiu de 6,9% para 6,8% em março, alcançando um novo mínimo da série. Na Alemanha, a taxa de desemprego de abril permaneceu em 5%, de acordo com o Banco Central alemão, segundo menor valor da série.

A inflação ao produtor (PPI, na sigla em inglês) acelerou para 5,3% em março frente ao mês anterior. O índice acumula alta de 36,8% em 12 meses e sugere mais pressão sobre os preços ao consumidor nos próximos meses.

China: casos de Covid-19 diminuem significativamente

O número de novos casos de Covid-19 caiu esta semana, passando de dezenas de milhares para milhares. Mais de 90% dos casos continuam concentrados em Xangai, que segue em lockdown há 5 semanas. A melhora da situação na cidade levou o governo a liberar um segundo grupo de empresas para retomar operações. Em Pequim, o recente surgimento de casos fez com que o governo tomasse medidas restritivas mais duras – como extensão do prazo de fechamento de escolas, redução no transporte público, recomendação de trabalho remoto – para evitar um agravamento do quadro. A testagem em massa tem sido realizada com frequência, mas o número de casos permanece baixo na capital. O presidente Xi Jinping disse que a estratégia Covid zero, que inclui lockdowns e testagem em massa, não deve ser questionada.

A atividade encolheu em abril pelo segundo mês consecutivo de acordo com os índices de gerentes de compras (PMIs, na sigla em inglês), calculados pelo Escritório Nacional de Estatísticas chinês (NBS, na sigla em inglês). O PMI de manufaturas e o PMI de serviços chegaram ao menor nível desde março de 2020, quando o país enfrentava a primeira onda de Covid-19. O enfraquecimento nos índices reflete a menor atividade em meio às restrições impostas pela estratégia de Covid zero, que levam ao fechamento de fábricas, atrasos logísticos em portos e rodovias. O PMI de manufaturas diminui 2,1 pontos para 47,3. Houve queda na produção e demanda, e enfraquecimento do emprego. Além disso, o tempo de entrega de mercadoria teve aumento significativo sinalizando dificuldades na cadeia de produção. O PMI de serviços diminuiu 6,7 pontos para 40, com o impacto de medidas restritivas pesando sobre 19 dos 21 setores consultados. Os setores mais afetados foram turismo, transporte e entretenimento.

Brasil

Pesquisa Focus: previsões de IPCA seguem deteriorando

A projeção para o IPCA apresentou alta, tanto para 2022 (de 7,65% para 7,89%) quanto para 2023 (de 4% para 4,1%). O número esperado para o PIB subiu para 2022 (de 0,65% para 0,70%) e ficou estável para 2023, em 1%. A taxa Selic permaneceu em 13,25% para 2022 e registrou elevação para 2023 (de 9% para 9,25%). As projeções estão no Boletim Focus, relatório do Banco Central que reúne a expectativa das instituições financeiras em relação aos principais indicadores econômicos do país.

Atividade: indústria apresenta leve expansão

A produção industrial do mês de março registrou alta de 0,3% frente ao mês anterior – abaixo do esperado por nós e em linha com o mercado. O destaque positivo entre as categorias econômicas foi a alta de bens de capitais de 8% na mesma base de comparação – segmento relacionado a investimentos. Nossa expectativa é que a indústria contribua negativamente para o crescimento do PIB em 2022 em função da política monetária contracionista, da desaceleração global e da desorganização das cadeias globais de produção. Este último fator deve se intensificar com o conflito na Ucrânia e a alta de Covid na China, ainda que o Brasil possa se beneficiar da alta recente dos preços de commodities. Nossa estimativa é que o PIB cresça 1,5% neste ano.

Fiscal: resultado positivo impulsionado pelos governos regionais

O resultado primário do setor público consolidado de fevereiro foi de R$ 3,5 bi, acima das expectativas. Houve déficit primário de R$ 19,2 bi para o governo central, enquanto governos regionais e estatais registraram superávit de R$ 22,7 bi, sendo responsáveis pelo resultado consolidado positivo. A dívida líquida subiu de 56,6% para 57,1%, em função da valorização do câmbio e do pagamento de juros. Resultado fiscal corrente segue surpreendendo, temos viés de alta na nossa projeção de superávit primário de 0,2% para 2022.

Inflação: segue em alta, apesar de surpresas positivas

O IGP-DI avançou 0,41% em abril, abaixo do esperado pelo consenso de mercado, e acumula alta de 13,53% em 12 meses. O dado registrou uma desaceleração em relação ao mês anterior, quando subiu 2,37%. A composição dos índices de atacado mostrou o IPA agrícola com deflação de 2,34% frente a alta de 2,28% no mês anterior. Por outro lado, o núcleo do IPA industrial – que inclui apenas os itens relacionados à inflação de bens industriais do IPCA, excluindo alimentos, combustíveis e minério de ferro – segue alto, registrou elevação de 1,75% ante 1,02% em março. A inflação de bens industriais deve seguir elevada devido aos novos choques nas cadeias globais de produção. O dado divulgado hoje não muda nossa perspectiva de forte viés de alta para nossa projeção de 7,2% para o IPCA de 2022.

Política monetária: Copom eleva Selic a 12,75% e abre espaço para novo ajuste em junho

O Banco Central do Brasil (BCB) confirmou as expectativas e elevou a taxa Selic em 100 pontos-base, de 11,75% para 12,75%, nesta quarta-feira (4).

As projeções de inflação do BCB no cenário de referência situam-se em torno de 7,3% para 2022 e de 3,4% para 2023. Este cenário supõe trajetória de juros que se eleva até 13,25% ao final de 2022 e reduz-se para 9,25% ao final de 2023. O comitê incorporou nesse cenário a hipótese de que o preço do barril do petróleo segue aproximadamente a precificação do mercado futuro observada na semana anterior à reunião do Copom, terminando o ano em US$ 100.

O Copom continua afirmando que, “diante de suas projeções e do risco de desancoragem das expectativas para prazos mais longos, é apropriado que o ciclo de aperto monetário continue avançando significativamente em território ainda mais contracionista”. Esse trecho justifica a continuação das elevações de juros. De fato, as projeções da Pesquisa Focus encontram-se acima das metas tanto em 2022 (7,89% versus 3,5%) quanto em 2023 (4,1% versus 3,25%).

Quanto aos próximos passos, o Comitê “antevê como provável uma extensão do ciclo com um ajuste de menor magnitude”, sinalizando uma alta, na nossa visão, de 50 pontos-base na reunião de junho como a decisão mais provável. “O Comitê nota que a elevada incerteza da atual conjuntura, além do estágio avançado do ciclo de ajuste e seus impactos ainda por serem observados, demandam cautela adicional em sua atuação.” Esse trecho indica que a manutenção da Selic no patamar atual na próxima reunião também possui probabilidade elevada.

Em suma, acreditamos que a comunicação é condizente com uma última alta de 50 pontos-base na reunião de junho, terminando o ciclo de juros em 13,25%, mas o Copom deixou em aberto a possibilidade de manter a taxa Selic em 12,75%. Aguardamos a ata da reunião, que será divulgada na próxima terça (10), para termos mais detalhes sobre os rumos futuros da política monetária.

Equipe Econômica C6 Bank

Felipe Salles Head
Claudia Moreno Head Brasil
Claudia Rodrigues Head Internacional
Felipe Mecchi Internacional
Heliezer Jacob Brasil

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A.

Os números contidos nos gráficos de desempenho referem-se ao passado; o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Cada analista de Macro Research é o principal responsável pelo conteúdo deste relatório e atesta que:

(i) todas as opiniões expressas refletem com precisão suas opiniões pessoais e eventual recomendação foi elaborada de forma independente, inclusive em relação ao Banco C6 S.A. e / ou suas afiliadas;

(ii) nenhuma parte de sua remuneração foi, está ou estará, direta ou indiretamente, relacionada a quaisquer recomendações específicas realizadas pelo analista.

Parte da remuneração do analista vem dos lucros do Banco C6 S.A. e / ou de suas afiliadas e, consequentemente, as receitas decorrem de transações mantidas pelo Banco C6 S.A. e / ou suas coligadas.

Este relatório foi preparado pelo Banco C6 S.A., uma instituição regulada por autoridades brasileiras.

O Banco C6 S.A. é responsável pela distribuição deste relatório no Brasil.

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.