Guia do Investidor

Tem novos planos para o futuro? Aprenda a realocar seus investimentos

Quando os planos mudam, é necessário realocar seus investimentos e adaptá-los à nova realidade


Foto de uma mulher negra, com cabelos cacheados, uma tela de computador e um notebook com códigos de programação na tela.

Imagine a seguinte situação: de repente, surge um convite irrecusável para trabalhar no exterior. Uma oportunidade e tanto, mas com grande impacto na sua vida — e nas suas finanças. Afinal, o planejamento financeiro voltado para a compra de um imóvel, por exemplo, passa a fazer menos sentido. Novos sonhos, novos investimentos.

Nessas horas em que os planos mudam, é necessário realocar seus investimentos e adaptá-los à nova realidade. E como fazer isso? A primeira providência é ter calma, já que agir de forma impulsiva pode levar a prejuízos desnecessários.

Relacionadas

Quais os cuidados para reformular a carteira de investimentos?

Saber o prazo em que pretende realizar o sonho é essencial: objetivos de curto, médio ou longo prazo precisam de estratégias diferentes de alocação.

Se conhecer também é parte primordial do processo. Antes de realocar seus investimentos, vale a pena refazer o suitability — aquele questionário que diz se você é mais conservador, moderado ou arrojado.

Assim, você poderá montar uma estratégia mais alinhada com o seu perfil atual. Muita gente não revê a estratégia de tempos em tempos, o que é algo saudável quando há mudanças no cenário econômico. Essa é a chance de reavaliar se ainda vale a pena investir em produtos com juros baixos ou apostar na valorização do dólar, por exemplo.

Vá devagar e não mova todos os recursos de uma vez. A recomendação é fazer a realocação dos recursos pouco a pouco, para evitar que eles sofram impacto maior pelas oscilações do mercado em momentos de mais instabilidade.

Se você estiver perdido, não tenha vergonha de pedir ajuda. O auxílio de um profissional pode dar mais consistência ao plano, mas não é imprescindível. Com um pouco de organização e vontade de aprender, qualquer pessoa é capaz de definir, por conta própria, uma nova rota para seus investimentos pessoais.

Como investir no C6 Bank

No C6 Bank, há opções de investimentos para todos os perfis, desde o iniciante ao experiente, para quem prefere tomar menos risco e aqueles que estão dispostos a se arriscar em busca de rendimentos maiores.

Dá para investir por conta própria ou optar pelo C6 TechInvest, uma assessoria de investimentos digital, com carteiras administradas e assessoria humana para você atingir os seus objetivos.

A aplicação mínima é de R$ 1.000 e a carteira recomendada inclui ativos nacionais e internacionais. O algoritmo do C6 TechInvest monitora constantemente as mudanças do mercado e, quando necessário, ajusta a sua carteira automaticamente em busca da melhor rentabilidade.

Quem prefere montar a carteira sozinho tem uma enorme diversidade de ativos para escolher, desde fundos, renda variável, renda fixa até previdência privada.

O investidor também não paga nada para investir: as taxas de corretagem e de custódia são zeradas para CDBs, fundos, ações, FIIs, ETFs, BDRs, mercados futuros e previdência.

Leia também: Clientes do C6 Bank têm direito ao Mastercard Surpreenda; entenda o benefício