Guia do Investidor

Como balancear sua carteira de investimento?

Para investir é preciso reavaliar os investimentos e fazer ajustes de tempos em tempos


Homem branco com barba e cabelo curto sentado em um ambiente com decoração rústica. Ele está olhando para cima e com o celular no mão.
Descubra como balancear sua carteira de investimento.

Vale sempre ressaltar que tudo o que acontece na economia do país e do mundo pode impactar os investimentos de alguma forma. Ou seja, se a economia vai bem, seus investimentos podem acompanhar o movimento e o mesmo pode acontecer na fase de contração ou recessão.

Relacionadas:

O que fazer antes de balancear sua carteira?

Sempre reavalie a carteira de investimentos e faça ajustes se e quando necessário.

Se os objetivos são de longo prazo, avalie semestralmente se os investimentos ainda estão alinhados com os planos. Caso o objetivo seja de curto prazo, acompanhe mensalmente ou a cada dois meses se a carteira está alinhada a estratégia traçada inicialmente.

Mas atenção, faz parte da rotina do investidor lidar com oscilações de rentabilidade, podendo acontecer do tipo de investimento mais estável até o mais arriscado.

O que considerar na estratégia de balanceamento?

Vieses comportamentais

  • Não julgue a qualidade do investimento apenas com base em informações recentes;
  • Não faça algo apenas porque outras pessoas também estão fazendo. Faça suas próprias análises e tire suas próprias conclusões;
  • Não se apegue ou supervalorize um investimento só porque ele está na sua carteira.

Custos que a movimentação na carteira pode gerar

Confira qual será a tributação, corretagem, taxas que vão incidir sobre o volume ou sobre o resultado.

Peso dos ativos

O peso dos ativos na composição da carteira pode e, provavelmente, irá mudar. Essa diferença pode não ser um problema, desde que a avaliação não atrapalhe seus objetivos. Você pode manter a carteira como está ou rebalancear com novos aportes.

3 estratégias para balanceamento de carteira

  1. Buy and Hold: este é o caminho do investidor que toma decisões pensando no longo prazo. Consiste em permanecer com os ativos quando existe um desbalanceamento sem vender nada, a não ser que exista uma mudança definitiva nos fundamentos de um determinado ativo.
  2. Constant Mix: o peso dos ativos na carteira é balanceado para que fiquem com a mesma divisão inicial. Ou seja, você pode, por exemplo, vender uma parte das ações e investir em renda fixa para que a carteira volte a ter o peso dividido de forma igual entre os dois ativos.
  3. CPPI: Constant Proportion Portfolio Insurance, abordagem usada por investidores mais experientes. Consiste em definir um valor mínimo para a sua carteira e movimentar os ativos de risco com base em modelos de perda esperada. Assim, mesmo que haja oscilações negativas, o valor mínimo dos ativos estará sempre assegurado em produtos conservadores.

E se você quer aprender mais sobre finanças não deixe de assistir aos vídeos do Prof. Liao, educador financeiro do C6 Bank. 

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Leia também: 3 vantagens tributárias da previdência privada