Seu Bolso

Faculdade dos filhos: como se planejar para pagar?

Tesouro direto, previdência privada e fundos de investimento são os três principais caminhos para poupar dinheiro


Casal se abraçando, sorrindo e olhando para o celular

A estratégia escolhida para poupar para a faculdade dos filhos vai depender do risco que você está disposto a correr. Além disso, também é preciso analisar o prazo disponível para realizar o objetivo.

Relacionadas:

Dicas para poupar para a faculdade dos filhos

O Tesouro direto, previdência privada e fundos de investimentos são os três principais caminhos para poupar dinheiro para a faculdade.

Porém, é importante ter um bom planejamento e disciplina de separar uma pequena parte do orçamento todos os meses. Quanto antes o esforço começar, menor será o sacrifício.

Dados da educação

Os gastos da educação superior podem ser elevados: se o seu filho resolver ser médico, por exemplo, o curso custa em média R$ 6,2 mil por mês no Brasil, segundo dados da Fundação Oswaldo Cruz. Já no curso de Direito, a mensalidade média é de R$ 1.022.

Mesmo no caso de um curso mais barato, como o de Pedagogia, o valor pode alcançar R$ 621, em média, por mês. Outros gastos que devem ser levados em conta são livros, transporte, alimentação e moradia, dependendo da faculdade.

Como começar o planejamento?

Para começar, o ideal é organizar o orçamento da família o quanto antes, levando em consideração gastos atuais e estimando o custo médio com uma faculdade e a renda que você terá no futuro.

O mais importante é gerar poupança e determinar o prazo e valor do objetivo financeiro. Confira abaixo algumas opções para cumprir com a meta.

Tesouro Direto

Ponto positivo: Simples e previsível

Ponto negativo: Por ser mais conservador, o investimento tende a trazer rentabilidade mais baixa

Para quem prioriza menor risco e não tem muito tempo para administrar seus investimentos. O custo é baixo, não há risco de crédito e você pode alocar o dinheiro com menos preocupação.

Caso opte por essa opção, atente-se para “casar” o título escolhido com o momento de resgate do investimento.

Fundo de previdência

Ponto positivo: alíquotas menores de IR

Ponto negativo: produto mais complexo

Fundos de previdência são indicados como uma das principais formas de aplicar para a faculdade dos filhos. Isso porque eles são investimentos voltados ao médio e longo prazo, além de oferecerem desconto no Imposto de Renda.

Caso opte pela tabela regressiva, lembre-se que a cobrança do IR dos fundos vai cair ao longo dos anos, atingindo o piso de 10% após uma década.

Se você tiver menos tempo para guardar os recursos, o mais indicado é a tabela progressiva, em que o IR cobrado vai aumentando até chegar nos 27,5%.

O cuidado a ser tomado nesse caso é que se trata de um produto bastante complexo. Ou seja, é preciso redobrar o cuidado com as taxas, pois dependendo da forma que a aplicação será resgatada, pode haver cobrança de taxas de saída.

Fundos de investimento

Ponto positivo: Maior potência de retorno

Ponto negativo: Exige do investidor conhecimento para montar uma carteira

Um fundo de investimento é, na prática, uma forma de terceirizar a administração do seu dinheiro, somando os seus recursos aos de outros investidores com objetivos parecidos com os seus.

Neste tipo de investimento, você entrega a um gestor a administração do seu dinheiro. Dessa forma, é bom acompanhar os resultados que o fundo apresenta ao longo do tempo.

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Leia também: Resgate antecipado: quais as consequências?