Guia do Investidor

Golpes bancários evoluem e usam o próprio cliente como isca; veja os principais e como se proteger

A relação entre clientes e instituições financeiras está cada vez mais digital e os golpes estão acompanhando essa evolução


Mulher segura celular com cadeado na tela em frente ao computador
Golpes bancários evoluem e usam o próprio cliente como isca

Ataques de engenharia social, conhecidos por envolverem algum tipo de manipulação psicológica, que levam as vítimas a revelar dados sensíveis ou confidenciais, tiveram aumento de 165% no primeiro semestre de 2021 em relação a igual período de 2020, segundo a Febraban (federação brasileira de bancos). A entidade detalhou os principais golpes e as principais tentativas de golpes e fraudes praticados atualmente.

A relação entre clientes e instituições financeiras está cada vez mais digital. Em 2016, 28% dos acessos a serviços bancários eram realizados por meio do celular. Em 2020, eles passaram a ser mais da metade (51%).

Acompanhando esse desenvolvimento tecnológico, os golpes estão evoluindo no Brasil. Antigamente, eles eram contra as estruturas das instituições, e portanto, a segurança ficava a cargo delas. Agora, o foco são os clientes, de forma aleatória. Os golpistas jogam a isca e se aproveitam daqueles que são fisgados por ela.

De acordo com a Febraban, no futuro, acredita-se que os golpistas pensarão em ataques diferentes para cada vítima. Eles terão como alvo as aplicações financeiras ou as pessoas diretamente.

A situação é especialmente crítica, pois o cidadão comum brasileiro tem uma baixa consciência digital, ou seja, dificilmente sabe identificar quando existe risco.

No intuito de ajudar a população a se proteger, a Febraban listou alguns dos principais golpes praticados atualmente. Confira a seguir.

Relacionadas:

Falso funcionário

O golpista entra em contato com o cliente se passando pelo gerente da conta ou por um funcionário da central de atendimento. Geralmente, utilizam até mesmo um software para imitar as mensagens automáticas.

O fraudador diz que houve uma transação indevida ou conta bloqueada e orienta sobre como realizar o estorno. Informa que é necessário acessar o computador da vítima. Diz que há um problema com o iToken e orienta o cliente a ir até um caixa eletrônico.

Com uma videochamada, consegue ler a habilitação do iToken. Depois, ainda pede para que o cliente confirme as transações caso a área de prevenção de fraudes entre em contato.

Cuidados: 

  • Quando receber uma ligação suspeita, sempre retorne utilizando outro aparelho.
  • Nunca realize transferências a pedido do banco.
  • Nunca deixe um terceiro acessar remotamente o seu computador ou celular.
  • Nunca vá a um caixa eletrônico a pedido de um suposto funcionário do banco.
  • Lembre que os números de telefone que você utiliza para entrar em contato com o banco nunca devem realizar chamadas para o seu telefone.

Falso motoboy

Golpistas se passam por funcionários do banco ou bandeira de cartão e vão até a casa do cliente para a retirada de cartões.

O fraudador entra em contato por ligação telefônica e informa sobre algum problema. Depois, pede para que a vítima digite a senha do cartão no teclado do telefone. Então, orienta a vítima a cortar o cartão ao meio e diz que um funcionário será enviado para recolher o cartão para perícia.

Segundo a Febraban, esse tipo de golpe está se sofisticando e em alguns casos o cliente é convencido a entregar até mesmo o celular para “investigação”.

Cuidados: 

  • Sempre corte o chip do cartão e realize o bloqueio definitivo quando quiser inutilizá-lo.
  • Nunca entregue cartão, celular, tablet ou notebook para terceiros.

Troca do cartão

O golpista se passa por vendedor ou entregador de aplicativo e troca o cartão durante o pagamento sem que a vítima perceba, depois entrega a ela um outro cartão, muito parecido com o seu.

Cuidados: 

  • Sempre passe você mesmo o cartão na maquininha.
  • Sempre proteja a visão do teclado ao inserir a senha.
  • Confira o nome impresso no cartão após a realização de um pagamento.
  • Nunca utilize um terminal com visor apagado ou danificado.

Falso empréstimo

Fraudadores fazem anúncios em sites se passando por instituições financeiras e oferecem empréstimos com taxas atraentes para pedir pagamento de supostas taxas ou impostos.

Cuidados:

  • Nunca pague taxas ou impostos antes de receber o valor de um crédito contratado.
  • Sempre pesquise e verifique a instituição é autorizada pelo Banco Central a oferecer empréstimos.

Leia também: C6 Bank oferece seguro para carro por R$ 5; entenda o benefício