Guia do Investidor

O que é risco e retorno no mundo financeiro?

Entenda como criar uma carteira balanceada de investimentos


O que é risco e retorno no mercado financeiro?
O que é risco e retorno no mercado financeiro?

Risco e retorno são duas variáveis importantes para os seus investimentos. Ao montar a sua carteira, você deve definir quais são as suas prioridades: risco, retorno ou liquidez? Essa decisão vai depender dos seus objetivos e da sua tolerância a riscos.  

Entenda mais sobre a relação entre risco e retorno nos investimentos e como você pode montar sua carteira de investimentos:  

Relacionadas: 

O que é risco? 

O risco de um investimento se trata da fragilidade de um determinado produto a oscilações do mercado ou do cenário político-econômico.  

Pode-se dizer que investimentos em renda fixa normalmente oferecem um menor risco quando comparados aos investimentos em renda variável, já que a taxa de rentabilidade é estabelecida no momento do aporte. No entanto, é importante lembrar que os investimentos de renda fixa também estão sujeitos a uma certa volatilidade, como com a variação da taxa Selic, por exemplo.   

Existem três tipos de riscos financeiros. São eles: o risco de mercado, o risco de crédito e o risco de liquidez. Entenda melhor sobre cada um deles: 

Risco de mercado 

Esse tipo de risco ocorre por conta de oscilações do mercado. As movimentações podem causar a variação do preço do ativo, e a sua rentabilidade estará atrelada a esse risco de mercado. 

Isso também pode acontecer no caso de ativos específicos, quando um mercado perde valor e aos poucos deixa de existir. Um exemplo é o mercado de câmeras analógicas, que perdeu muito valor com a digitalização das fotografias.  

Portanto, um investimento com alto risco de mercado pode fazer com que os seus investimentos tenham perdas significativas de valor em um curto espaço de tempo.  

Risco de crédito  

O risco de crédito, por sua vez, é mais comum em investimentos de renda fixa. Por exemplo, ao investir em produtos como CDBs, corre-se o risco de que a instituição financeira para a qual você emprestou o seu dinheiro não o devolva. Isso pode acontecer caso a instituição venha a decretar falência, por exemplo. 

No entanto, esse risco é diminuído pela proteção do FGC. A entidade financeira garante que você recupere todo o dinheiro investido em caso de falência da instituição financeira em que você investiu. Por isso, consulte se o produto em que você vai investir possui a garantia do FGC.  

Risco de liquidez 

Outro fator importante para os seus investimentos é a liquidez. Esse conceito se trata da disponibilidade do seu dinheiro, ou seja, o prazo para o resgate do investimento.  

O risco de liquidez, portanto, se trata da impossibilidade de resgatar o seu dinheiro caso precise. Isso pode acontecer ao investir em produtos com prazos estabelecidos, como os CDBs.  

É importante lembrar que todos os tipos de investimentos contam com algum nível de risco. Por isso, estude sobre os diferentes produtos e escolha aqueles que são mais adequados ao seu perfil do investidor e aos seus objetivos.  

O que é retorno? 

O retorno, por sua vez, se refere a rentabilidade do seu investimento. Ao montar a sua carteira, pode ser que o seu objetivo seja atrair a maior rentabilidade possível. 

No entanto, produtos com maior rentabilidade podem oferecer maiores riscos ou uma liquidez menor. 

Qual é a relação entre risco e retorno?  

Montar uma carteira de investimentos que contemple a relação entre risco e retorno é essencial para proteger a sua rentabilidade. Existem algumas teorias que explicam a relação entre risco e retorno. Conheça duas delas:  

Teoria de Markowitz 

A teoria de Markowitz defende a diversificação da carteira como forma de maximizar a relação entre risco e retorno. Ao alocar o seu dinheiro em produtos variados, a sua rentabilidade não estará atrelada a um único produto, podendo diminuir as suas perdas em caso de oscilações. 

Índice de Sharpe 

O índice de Sharpe, por sua vez, é um complemento a teoria de Markowitz. Nessa análise, o retorno de um ativo não deve ser analisado apenas pelo seu valor total.  

Para maximizar a rentabilidade, é necessário avaliar o quanto a rentabilidade de um produto supera a rentabilidade de outro ativo livre de risco. 

Assim, é possível ponderar se um investimento vale a pena a partir dessa comparação entre dois níveis de risco.   

Como montar uma carteira de investimentos equilibrada? 

Para montar uma carteira com um bom equilíbrio entre risco e retorno, é importante priorizar a sua diversificação. Assim, você pode investir em produtos de renda fixa, renda variável, e se expor a diferentes níveis de risco.  

Uma solução para construir uma carteira diversificada é o C6 TechInvest. Através da ferramenta de investimentos do C6 Bank, a sua carteira é montada e administrada com base nos seus objetivos como investidor.  

 A prioridade do C6 TechInvest é montar uma carteira diversificada, por meio do balanceamento entre ativos nacionais e internacionais. Além disso, o algoritmo da ferramenta ajusta a sua carteira automaticamente de acordo com as movimentações do mercado. 

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra suaconta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app. 

Leia também:  4 passos para montar uma carteira de investimentos