Guia do Investidor

O que é COE?

O Certificado de Operações Estruturadas é uma alternativa de captação de recursos para os bancos


Mulher negra, em frente à janela, olhando para o tablet e pesquisando sobre COE
Tudo o que você precisa saber sobre COE – Certificado de Operações Estruturadas

Se você participa do mundo dos investimentos, provavelmente já viu a sigla COE por aí. Mas sabe o que ela significa?

O Certificado de Operações Estruturadas (COE) nada mais é do que a versão brasileira das Notas Estruturadas, muito conhecidas e populares na Europa e nos Estados.

Confira a matéria a seguir para saber mais sobre este instrumento inovador.

Relacionadas:

COE: o que é?

Como dito anteriormente, COE é o Certificado de Operações Estruturadas. Ele foi criado pela Lei 12.249/10 e regulamentado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) do Banco Central, no segundo semestre de 2013.

De forma reduzida, o COE é uma alternativa de captação de recursos para os bancos. Além disso, ele é estruturado tomando como base os ganhos e perdas do perfil de cada investidor.

Por fim, vale ressaltar que este instrumento mescla elementos de renda fixa e renda variável, podendo ser uma alternativa para o cliente que gostaria de ter uma exposição a renda variável, mas que ainda pode ter algum receio.

Como é emitido?

Sempre que um banco precisa emitir um COE, ele observa as regras de suitability. Ela é a análise da disposição a se expor a riscos de cada investidor.

Existem duas formas de emissão do COE. São elas:

  • Valor Nominal Protegido, no qual há garantia do valor principal investido;
  • Valor Nominal em Risco, onde há possibilidade de perda até o limite do capital investido.

Isso transmite mais segurança para todos os tipos de investidores. Enquanto os mais conservadores podem estabelecer um limite de perda no investimento, os mais arrojados, com operações de alto grau de risco, conseguem enxergar estratégias e cenários mais nítidos.

Principais características do COE

Com o COE fica mais fácil de acompanhar o desempenho, já que ele é montado como instrumento único, havendo única tributação, conforme o prazo da operação e seguindo a tabela regressiva que vai de 22,5%, 20%, 17,5%, até o mínimo de 15%.

Além disso, quem o emite são os bancos já registrados na B3, a Bolsa de Valores do Brasil, autorizada a fazer o depósito e liquidação do COE.

COE e Suitability

Existem alguns pontos de atenção com a relação às características do COE, uma vez que os bancos levam em consideração o perfil do investidor:

  • O vencimento
  • Valor mínimo de aporte
  • Indexador
  • Cenários de ganhos e perdas

Ainda não está usando o C6 Bank? Baixe o app, abra sua conta digital gratuita, peça seu cartão sem anuidade com a cor que quiser e aproveite um banco completo com tudo em um só app.

Leia também: Ações: como ter na carteira sem investir diretamente na Bolsa?